Get Amazing Stories

Get great contents delivered straight to your inbox everyday, just a click away, Sign Up Now.
FitBloggers

#FitBloggers: bullying

agosto 18, 2014

Este post faz parte da blogagem coletiva FitBloggers, um grupo de blogueiras saudáveis que traz, a cada mês, um assunto diferente a ser discutido. Para ver todos os posts dessa categoria, clique aqui.

bullying: conjunto de maus-tratos, ameaças, coações ou outros atos de intimidação física ou psicológica exercido de forma continuada sobre uma pessoa considerada fraca ou vulnerável.

Sinceramente, não consigo entender como pessoas precisam diminuir as outras para se sentirem grandes. Coincidência ou não, desde que comecei a ter novos hábitos senti que minha cabeça tem ficado muito mais esclarecida com relação a alguns assuntos (como o feminismo, por exemplo) e também passei a prestar mais atenção às pessoas à minha volta.

Quando era mais nova, tinha boas notas na escola, era magra, praticava esportes, fazia alguns gols no campeonato de handball, tinha um grupo ok de amigos, etc. Não sabia o que era sofrer bullying. Na verdade, naquela época nem existia essa palavra. Também nunca vi alguém ser perseguido porque era gordo, magro, narigudo. Claro, havia momentos em que um fica zoando o outro, mas nada abusivo. No final, todos os envolvidos riam e iam jogar bola. Ok, uma ou duas vezes os meninos fizeram piada de mim por ter seios grandes no colegial, não foi nada terrível também e aposto que eles não fariam piada dos meus seios hoje.

Mas então eu engordei. E agora vamos para uma parte dessa vida de gordinha que me marcou muito. Não queria falar sobre isso, era melhor ignorar e deixar de lado, não comentar nada. Mas foi o mais perto do “bullying” que eu já cheguei, não vou citar nomes e tentarei ser breve. Acho que é importante registrar aqui.

Existe uma pessoa que acho que simplesmente acordou um dia e decidiu que não gostava de mim. Uma indireta no Twitter aqui, outra ali, nada demais. Chega uma hora em que a gente simplesmente dá unfollow e a pessoa fica lá falando sozinha, a energia negativa que ela transmite simplesmente bate e volta (ui!). Acontece que essa pessoa e eu passamos a ficar próximas, em algum momento houve um pedido de desculpas e ficou tudo bem. Não sei, acho bem mais fácil guardar mágoa de pessoas que sempre foram queridas, do que de pessoas que nunca foram tão próximas. Engraçado isso. Enfim. Se passaram alguns meses e um dia eu acabei dando uma mancada. E foi o suficiente pra que tudo voltasse a ser como era antes. Acontece que essa pessoa começou a me atacar “indiretamente” usando meu corpo “gordo” como arma.

Como eu superei? Sozinha, há pouco tempo. Quando eu parei de considerar meu corpo como algo feio e passei a vê-lo como algo com defeitos que são lindos e que me fazem ser quem eu sou.

inseguranca-bullying-tumblr-2

Essa bunda não é minha, mas poderia ser hahaha

Mas sabe o que mais me irritou e me chateia até hoje? Não, não é alguém ter usado meu corpo como uma “arma” contra mim, mas sim o fato de outras pessoas terem percebido quão feio era aquilo e o quanto me chateava e não ter feito nada. Ter simplesmente rido, tomado como uma brincadeira. E, por mais que a pessoa não estivesse falando “Ei, você é uma gorda zuada. Você não é gostosa. Isso não é um corpo de verdade”, eu sabia que o que ela fazia era exatamente pra me atacar nesse ponto.

E eu sinto que é exatamente isso o que acontece à volta das pessoas que sofrem bullying. Ela tá lá, sofrendo, e todo mundo simplesmente ri, fala que é uma brincadeira e que ela não deveria se importar com aquilo. Em algum momento da minha vida, eu aprendi que a gente nunca deve usar as inseguranças dos outros como uma arma contra eles. Não é frescura, a gente não tem que levar na brincadeira. Esse tipo de coisa marca e dói muito. E é difícil de esquecer.

Portanto, eu só peço uma coisa: é extremamente importante que nossas crianças sejam criadas sabendo que não é legal usar a aparência de alguém ou a forma como ela fala ou se veste, etc., para diminuí-la. Elas precisam saber que tem gente gordinha, magrela, mais alta, mais baixa, de cabelo liso e enrolado… E que nenhuma dessas características deve ser usada como algo ruim, porque uma dessas coisas pode ser uma insegurança e que dói demais quando mexem nessa ferida.

Tá passando por isso? Tem alguém pegando no seu pé porque você é gordinha? Deixa eu te contar uma coisa: isso não é um defeito, é uma característica sua e ninguém tem o direito de te colocar pra baixo por isso. Aprende com a Big Boo, de Orange is the New Black 🙂

fat-oitnb-mude-me

fat-oitnb-mude-me-2

Posts Relacionados:

Discussão

  • Reply mude.me » saúde | esportes | bem estar | beleza » #stopthebeautymadness | de mim, pra mim: como o feminismo tem me ajudado a amar meu corpo setembro 2, 2014 at 11:18

    […] daquele momento. Entendi que precisava me libertar daquela paranoia. Há duas semanas, falei (aqui) sobre minha única experiência em que uma pessoa conseguiu me deixar pra baixo por causa da minha […]

  • Deixe um Comentário