Get Amazing Stories

Get great contents delivered straight to your inbox everyday, just a click away, Sign Up Now.
Vida Saudável

Criando a playlist perfeita para seu treino (de acordo com a Ciência)

fevereiro 11, 2015

Se você já se arrastou num treino simplesmente porque esqueceu os fones em casa ou sentiu um boost de energia quando sua música favorita começou a tocar você sabe que, quando falamos de exercícios, a música é extremamente importante.

exercise-mude-me

Pesquisas mostram que ouvir música enquanto você treina pode melhorar seu humor e faz com que os exercícios pareçam mais fáceis. Um estudo até sugere que a música pode ajudar uma pessoa que tem um ritmo moderado a se esforçar mais.

kitten-mude-me

Os efeitos são tão relevantes que quando o Dr. Costas Karageorghis, um dos maiores especialistas em psicologia da música, fez uma pesquisa em 2012, ele disse que a música pode ser considerada como um tipo de droga para melhorar a performance num exercício.

Criar uma playlist cientificamente adequada para seu treino exige mais do que colocar seu iPod no modo aleatório e dar o play.

ipod-mude-me

Aqui está um guia básico de como fazer isso:

1. Decida se você quer se mover em sincronia com a música.

beat-drum-mude-me

Existem alguns desacordos sobre os benefícios de usar música sincronizada com o exercício – alguns estudos dizem que isso ajuda a melhorar sua eficiência, outros dizem que não faz diferença. De qualquer forma, existem muitas pessoas que gostam de ~se mexer com a música~. O que é bem útil quando você está fazendo cardio (corrida, elíptico, bike, etc).

Se você é um corredor que gostaria de tentar uma corrida sincronizada, comece determinando sua frequência de passadas. Isso parece complicado, mas a única coisa que você precisa fazer é contar seus passos por um minuto enquanto corre em um ritmo confortável. Caso você queira ser mais extravagante, faça isso várias vezes e tire uma média dos resultados. Agora que você encontrou sua frequência de passadas, você precisa encontrar músicas com um número proporcional de batidas por minuto (BPM). Por exemplo, se você dá 150 passos em um minuto, você deverá escutar músicas com aproximadamente 150 BPM.

Não sabe o BPM das suas músicas favoritas? Existem vários sites que podem te ajudar! Você pode conseguir o BPM de quase todas as músicas usando o SongBPM.com ou, se você prefere buscar direto pela velocidade do que por música específica, o Jog.fm tem um grande banco de dados de músicas populares organizadas por BPM. O aplicativo RockMyRun é também um ótimo meio.

Se isso parece trabalho demais – não se preocupe. Você ainda vai ter um boost de energia mesmo sem sincronizar seu treino com a música.

2. Opte por músicas com um ritmo forte e bastante energia, além de uma melodia e letras inspiradoras.

glee-cheer-mude-me

É mais provável que você se esforce mais quando está ouvindo algo alegre e com bastante energia. O que vai classificar uma música com essas características varia de pessoa para pessoa, já o critério para uma playlist “científica” não. De acordo com um estudo de 2011, aqui está o que você deve considerar na hora de montar sua playlist:

Um ritmo forte e ~energizante~: Para que uma música seja devidamente motivadora ela precisa ter mais que 120bpm, além de ter uma batida forte. Se você não está sincronizando a música com seu exercício, escolha uma com o BPM entre 120 e 145. Ritmos mais rápidos não mostram uma melhora na performance ou motivação.

Melodia e letra para melhorar o humor: Te ajudar a fazer com que você se sinta bem consigo é uma das formas com que a música mais ajuda durante um treino, e é por isso que você deve escolher músicas que promovem um cenário motivante e uma conversa interna. Por enquanto, ainda não há muitas pesquisas envolvendo músicas que inspiram durante o treino, mas pesquisadores acreditam que músicas que falam sobre exercícios ou têm frases inspiradoras são particularmente efetivas. Por exemplo: Shake It Off e Don’t Stop Me Now.

3. Monte sua playlist de acordo com seu treino.

treadmill-mude-me

Você não começa o treino correndo como um doido, então também não comece suas playlists dessa forma.

De acordo com o estudo de 2011, o ritmo da música deve ser selecionado de acordo com a intensidade do exercício em mente, e então mudando de acordo com as mudanças da sua frequência cardíaca. Gradualmente, vá aumentando o BPM de acordo com o aumento da sua frequência cardíaca e isso vai te ajudar a continuar motivado, mesmo não sincronizando a música com seus movimentos.

Além disso, a pesquisa sugere que você deve prestar atenção à forma como essa combinação funciona como um todo. Se você vai passar meia hora na esteira, considere ouvir músicas com as mesmas características. As alterações bruscas de estilo ou velocidade devem ser guardadas para as transições entre os exercícios.

Finalmente, uma pequena nota sobre segurança.

meninas-malvadas-gif-fitness-mude-me

Não deixe que a música de distraia muito. Continue prestando atenção em seu corpo e no ambiente à sua volta. Se sua playlist está fazendo com que você não escute pessoas ou carros, abaixe o volume ou desligue. A prioridade número um do seu exercício é sobreviver.

 

Fonte: BuzzFeed

Posts Relacionados:

Discussão

Deixe um Comentário